segunda-feira, 30 de novembro de 2009

50 FILMES PARA VER ANTES DE MORRER



Povo adora fazer lista de filmes, livros, lugares – que você deveria ver antes de morrer. Dia desses, ganhei de um amigo o livro “1.001 Filmes para ver Antes de Morrer”, publicado pela Editora Sextante. Em  leituras parciais concluí que devo ter visto uns 300 deles. E que não concordo com muitas das inclusões e das exclusões deles. Claro, gosto se discute, e a unanimidade é burra, não dizem? Mas isso fica para um outro post, que estou preparando.

Falei no assunto para abrir a seleção de clássicos preparada pelo Canal TCM (Canal 91 da Net). O TCM é um dos poucos canais que têm programação praticamente só de clássicos. Mais do que o Telecine Cult, que antigamente era Classic, e que mudou sua programação. Infelizmente, exibe muitos filmes dublados, mas enfim, está com uma boa seleção para a 3ª edição do especial 50 Filmes que você Deveria Assistir Antes de Morrer, que vai durar quase o mês todo de dezembro.

A divulgação do canal anuncia que, este ano, pela primeira vez, as obras-primas de Hollywood estarão lado a lado com produções consagradas do cinema mundial. A promessa é que o neorrealismo italiano, uma ópera rock britânica e até os samurais do mestre Akira Kurosawa se entendam muito bem com astros como Bogart, Capra, Eastwood e companhia.

Cinéfilos poderão testemunhar, por exemplo, Robert Donat escapando a todo vapor na primeira grande obra de Alfred Hitchcock, Os 39 Degraus (que nunca vi); pai e filho na Roma pós-guerra em uma busca impossível no emotivo Ladrões de Bicicleta, de Vittorio de Sica (vou rever); e o corrompido Ray Milland, em seu devastador e extremo retrato de um alcoólatra em Farrapo Humano (belíssimo e triste filme, que pretendo rever).

Serão sessões duplas diárias, a partir das 22 horas. Alguns passam sempre no próprio TCM, outros não tenho visto em nenhuma emissora, e muitas vezes não tem em DVD. E mais: confesso que a maioria dos filmes eu não conheço ou não vi, e que acho algumas escolhas de gosto duvidoso, como Corra que a Polícia vem Aí. Confira as atrações desta primeira semana:

Confira abaixo a programação para a primeira semana:

1º de dezembro – terça-feira

22h – A Cor Púrpura (The Color Purple, 1985)
0h – Uma Rua Chamada Pecado (A Streetcar Named Desire, 1951)

2 de dezembro – quarta-feira

22h – Hamlet (Hamlet, 1948)
0h – Drácula (Dracula, 1931)

3 de dezembro – quinta-feira

22h – Uma Aventura na Martinica (To Have and Have Not, 1944)
23h45 – Loucuras de Verão (American Graffiti, 1973)

4 de dezembro – sexta-feira

22h – Mad Max (Mad Max, 1979)

23h40 – Inferno Nº 17 (Stalag 17, 1953)

5 de dezembro – sábado

22h – Nascido para Matar (Full Metal Jacket, 1987)
0h05 – Gunga Din (Gunga Din, 1939)

6 de dezembro – domingo

22h – Corra Que a Polícia Vem Aí! (Naked Gun: From The Files of Police Squad, 1988)
23h30 – Alcatraz : Fuga Impossível (Escape from Alcatraz, 1979)

7 de dezembro – segunda-feira

22h – Os Sapatinhos Vermelhos (The Red Shoes, 1948)
0h – Círculo do Medo (Cape Fear, 1962)

Quando: 1º a  25 de dezembro, sempre a partir das 22 horas

sexta-feira, 27 de novembro de 2009

Para quem gosta de shows tarde da noite

Heitor Branquinho toca hoje, à meia-noite, “muito bem acompanhado”, como diz, pelo irmão Hugo Branquinho (voz), Ismael Tiso Jr. (voz e guitarra) e Clayton Prósperi (piano e voz).

“Vamos tentar transformar a esquina de SP em um esquina mineira”, afirma o cantor e compositor mineiro.

E o melhor: no repertório, só pérolas do Clube da Esquina!

Onde: Bar Brahma – Avenida São João com Ipiranga.
Quando: hoje, à meia-noite.

E no domingo (29), o quarteto tocará no Parque do Cordeiro (zona sul de São Paulo), às 15 horas, com transmissão ao vivo pela 100 Jabá Web Rádio.

quinta-feira, 26 de novembro de 2009

Quadrinhos, dança, shows, mais 35 horas de atividades na Livraria Cultura



QUADRINHOS NO METRÔ REPÚBLICA

O desenhista Laudo Ferreira Júnior produziu um novo trabalho para a Editora Europa, dentro da série “História do Brasil em Quadrinhos”, que contou com roteiro e pesquisa do Edson Rossatto e cores do ‘parceirinho’ 100% Omar. O tema dessa edição é a Proclamação da República. Esse material estará nas bancas até início de dezembro. E vem a calhar o local da prévia, o Metrô República. Mais detalhes aqui.

Quando: até 30 de novembro
Onde: Metrô República



GLÁUCIA NASSER EM DOIS SHOWS GRATUITOS

A cantora e compositora mineira Gláucia Nasser faz duas apresentações em São Paulo, neste fim de semana. Acompanhada por um time de novos músicos, apresenta o repertório de trabalhos próprios e de outros compositores.

Quando: sexta (27), às 20 horas.
Onde: Área de Convivência do Sesc Ipiranga – Rua Bom Pastor, 822 – (11) 3340-2000

Quando: domingo (29), às 17 horas
Onde: Atelier Hugo França – Rua Gomes de Carvalho, 585 – Vila Olímpia
Informações: (11) 9639-4161, com Carla

ENTRADA FRANCA

AS CANÇÕES DE DOLORES DURAN

Alaíde Costa, Claudette Soares e Claudia Telles – três grandes intérpretes da música popular brasileira – homenageiam Dolores Duran, cantora e compositora, nos 50 anos de sua morte. O show As Canções de Dolores Duran estreia na Caixa Cultural Sé, neste sábado. No repertório, O Negócio é amar, Ternura antiga e Fim de caso, em solos e duetos magistrais. Ao final, todas cantam A Noite do meu bem e Estrada do sol. Músicos acompanhantes: Marcello Lessa (violonista) e José Estebez (tecladista).

Quando: sábado (28) e domingo (29), às 19 horas.
Onde: Caixa Cultural São Paulo – Praça da Sé, 111 – Centro – (11) 3321-4400
ENTRADA FRANCA



35 HORAS DE CULTURA SEM PARAR

Na Livraria Cultura, 35 horas de debates, exposições, lançamentos de livros, palestras, filmes, shows... Veja mais aqui.

Onde: Livraria Cultura do Conjunto Nacional
Quando: Sábado (28) e domingo (29).


Foto: Marcia Alves

ÚNICA APRESENTAÇÃO DE VILLA LUZ, NO MUSEU AFRO-BRASIL

O espetáculo de dança Villa Luz, dirigido pela bailarina e coreógrafa Susana Yamauchi, faz única apresentação, aberta ao público, contando com espectadores especiais – 60 jovens que participam do Projeto Corpo Digital, que visa à inclusão a partir do contato com novas mídias digitais e com a arte. A proposta é levar à cena a miscigenação da cultura brasileira, tendo como base a busca do compositor Villa-Lobos pelas origens da cultura brasileira. O elenco de Villa Luz é composto por 40 jovens, moradores de diversas regiões de alta vulnerabilidade juvenil na capital paulista.

Quando: sábado (28), às 15h30
Local: Auditório Ruth de Souza do Museu Afro Brasil – Portão 10 do Parque do Ibirapuera
ENTRADA FRANCA

terça-feira, 24 de novembro de 2009

O Solista e A Gafieira


Ontem, enfim, quebrei um longo jejum de cinema. Sempre que posso, vejo filmes pelo menos em casa, mas ao cinema fazia “décadas” que não ia – justo eu, que há anos vejo pelo menos dois filmes por semana nas telonas. E valeu a pena, pelos dois – raramente vou ver apenas um.

Primeiro, O Solista, do qual pouco ouço falar. Dirigido pelo inglês Joe Wright - de Desejo e Reparação e Orgulho e  Preconceito - merece mais, porque é o que chamo de pequeno grande filme, baseado em livro do jornalista Steve Lopez.

Steve (Robert Downey Jr., de quem sou grande fã) precisa de um bom tema para sua coluna no Los Angeles Times. À procura de personagens, encontra um músico de rua, Nataniel Ayers (Jamie Foxx, que fez Ray e outros bons papéis). Aos pés da estátua de Beethoven, pichada com o nome de Stevie Wonder, ele toca um violino de duas cordas. Quando Steve puxa assunto, Nataniel desanda a falar, e uma das poucas palavras que o jornalista consegue identificar é “Juilliard”. De volta à redação, descobre que ele se tornara esquizofrênico no meio dos estudos na famosa escola de música de NY, indo parar nas ruas do outro lado do país. Só volta a encontrá-lo num dos túneis da cidade, que atrai o músico provavelmente por seu barulho encobrir as vozes que o atormentam.

Achei um filme sensível, com doses de humor, que questiona o sistema de albergues públicos e os tratamentos convencionais de problemas mentais. Resta aguardar a volta de Downey Jr. – ele mesmo vítima de problemas com drogas e álcool e por vezes ausente das telas – em janeiro, no papel de Sherlock Holmes, outro personagem atormentado, que terá a companhia de Jude Law como Watson. Que dupla!

Minutos depois, vi Bastardos Inglórios, que haviam me elogiado muito. Realmente, um ótimo filme de Tarantino – nunca quis ver a série Kill Bill, porque odeio filmes de artes marciais – com relativamente pouca violência e que conta uma história com começo, meio e fim, em capítulos. Ele revive a época do nazismo na Europa, retratando uma suposta brigada antinazista norte-americana liderada pelo “caipira” Brad Pitt, que trama a morte de toda a cúpula da SS, incluindo Hitler. Embora longo, é um filme que não cansa e tem final bem imprevisível...



Gafieira São Paulo no Sesi


A Gafieira São Paulo, grupo liderado pela cantora Verônica Ferriani, com direção musical de Cahê Rolfsen e Conrado Goys, e direção artística de Pedro Altman, tem apresentação única no Teatro Popular do Sesi, com repertório essencialmente brasileiro, que revive a atmosfera das antigas gafieiras dos anos 60.

Quando: quarta-feira (25), às 20 horas.
Onde: Sesi – Avenida Paulista, 1.313
Quanto: R$ 5 a R$ 10 (apenas dois ingressos por pessoa)

Informações: Ticketmaster (11) 2846-6000.

sexta-feira, 20 de novembro de 2009

Grandiosos, badalados e quetais...


Foto: Agência Reuters

Sting é destaque em festival na Chácara Jockey

Não sou de indicar grandes eventos, principalmente se forem muito badalados ou caros, porque eu mesma fujo deles. Mas como se trata de Sting – de quem sou fã desde o Police – não posso deixar de citar.

Ele é uma das atrações do festival Natura Nós About Us, que começa neste sábado e propõe o debate da relação entre o homem e a natureza. Ecologista de primeira leva, ele não poderia deixar de abraçar a causa – mesmo porque deve ter ganhado um belo cachê também...

O cantor e compositor e baixista inglês toca no segundo dia (domingo), que ainda contará com Jason Mraz, Lenine, Arnaldo Antunes, AfroReggae e Carlinhos Brown. “Vou tocar com minha banda músicas do Police e da carreira solo. Roxanne e Message in a Bottle estarão entre elas, certamente”, conta.

No repertório, nada de seu recém-lançado disco: “Não combina com um show aberto, para muitas pessoas. É um disco sobre o inverno, silencioso, e vocês estão no verão”, justifica. Portanto, deve agradar mesmo a quem o acompanha desde os anos 80.

Fã de Caetano, Gil e Villa-Lobos, Sting afirma que o Brasil é um País empolgante: “Filosofia, religião, problemas sociais, educação, meio ambiente, são muitas coisas diferentes acontecendo ao mesmo tempo. Acho que a arte e a música brasileira refletem tudo isso”, declarou, por telefone.

Veja aqui a programação completa do festival.

Quanto: de R$ 120 a R$ 500.
Quando: domingo (22), às 20h30. Outras atrações a partir das 15 horas
Onde: Chácara do Jockey – Avenida Pirajuçara, s/nº (altura do 5.100 da Av. Francisco Morato). Telefone: 4003-1527.

Fonte: Estadão / JT

PIANO NA PRAÇA

O pianista Dom Salvador, que vive em Nova York, e Lobato Acarahyba, ambos marcados pela influência de ritmos afro-brasileiros, estrelam esta edição especial do projeto Piano na Praça, voltada ao Dia da Consciência Negra.

Onde: Praça Dom José Gaspar, centro da cidade.
Quando: sábado (21), às 15 horas.
DE GRAÇA!
 


SÃO ISMAEL DO SAMBA


O Dia da Consciência Negra continua sendo comemorado no fim de semana.

Ismael Silva (1905-1978), um dos maiores sambistas dos anos 1930 e 40, é homenageado neste fim de semana no Sesc. Figura marcante no cenário da boêmia e na fundação da Estácio de Sá, Ismael é autor de grandes sambas, como Se você jurar, Antonico, Contrastes, Nem é bom falar, entre outros.

Participam do show: Jards Macalé, que gravou Contrastes em 1977; Cristina Buarque, pesquisadora do samba que conviveu com Ismael e Barão do Pandeiro, que recebeu muitas de suas composições, além de Ná Ozzetti, que interpreta releituras de clássicos do autor.

Onde: Sesc Pinheiros – Rua Paes Leme, 195 – (11) 3095-9400
Quando: Sábado (21), às 21 horas; domingo (22), às 18 horas.
Quanto: R$ 5 a R$ 20

Para o feriadão, shows, mostras, teatro, livro e filmes...



Dia da Consciência Negra no Museu Afro-Brasil

Esta sexta, 20 de novembro – Dia da Consciência Negra – tem programação especial comemorativa no Museu Afro-Brasil. Começa com shows, tem lançamentos de livros e exposições. Confira aqui a programação completa.

Quando: hoje (20), a partir das 17 horas (chegue antes, para ver as belas exposições permanentes)
Onde: Museu Afro-Brasil – Organização Social de Cultura – Avenida Pedro Álvares Cabral – Parque Ibirapuera
ENTRADA FRANCA

Mostra Teatro Brasil

Começou ontem e prossegue até o dia 25 a Mostra Cine Teatro Brasil. Veja a programação aqui.

Onde: Funarte – Alameda Nothmann, 1.058 – próximo à Estação Marechal do Metrô
Quanto: GRÁTIS!



Filmes inéditos e debate, na Semana do Filme Nacional da Cultural

Confira aqui a programação completa.



Onde: Reserva Cultural – Avenida Paulista, 900 – térreo baixo
Quanto: R$ 3 a R$ 6
Quando: de 20 a 28 de novembro

Aproveito para indicar livro sobre Caymmi

Em Caymmi sem Folclore, o autor André Domingues revela um Dorival Caymmi – compositor de 109 canções – que vai além das fronteiras da praia, da capoeira, do candomblé e do samba de roda. Quebrando esses mitos folclorizantes, emerge um personagem interessante, moderno, envolvido com o mundo do rádio, da imprensa, da intelectualidade, enfim, com a cultura urbana do seu tempo.

Para Domingues, “Caymmi recriou a Bahia com uma linguagem do rádio e do cinema”. O jovem pesquisador musical apresenta uma leitura que desvenda “um projeto coerente de cultura nacional em Caymmi”. Para ele, a ‘arte caymmiana’ não está no universo do folclore, dos pescadores e do candomblé, mas no mundo do rádio, do disco e do cinema.

Domingues acredita que “a Bahia de Caymmi é carioca, reflete o imaginário nacional” da primeira metade do século 20. No livro, que analisa o período de 1938 a 1959, o autor mostra as ligações feitas por um pensamento nacionalista entre a arte de compositores populares e uma identidade brasileira baseada em elementos folclóricos. Caymmi Sem Folclore, de André Domingues, tem 152 páginas e foi editado pela Barcarolla. Custa aproximadamente R$ 20.

Filmes para hoje:

Acabo de ver um filme que tinha gravado há tempos do Telecine Cult – Mandela – documentário sobre a vida do líder sul-africano produzido em 1996. Há mais tempo, vi outro mais novo, Mandela: Luta Pela Liberdade (2007), que narra, sob o ponto de vista de um agente penitenciário, a história de Mandela durante os 20 anos em que ele ficou preso. O ótimo ator Dennis Haysbert representa o líder, nesse bom filme, que o Telecine Premium vai reprisar no início de dezembro. Imagino que ambos estejam em DVD.

Ao contrário do Telecine, o Canal Brasil homenageia hoje o cinema que retrata o negro nas telas e na história. Às 22 horas, tem Sessão Interativa, que exibirá um entre três filmes colocados em votação e que ainda não foi divulgado. Eu votei no ótimo A Negação do Brasil, que mostra a discriminação dos atores negros na cena brasileira. Só lembro que também estava em votação Quilombo, de Cacá Diegues.

Bom feriadão!

quinta-feira, 19 de novembro de 2009

Língua de Trapo e Premê fazem público do Sesc vibrar...



Que delícia ver Língua de Trapo e Premê, juntos, num palco “um pouco” maior que o do Lira Paulistana, relembrando os bons tempos daquele pequeno palco num porão, que agitava noites e fins de semana de gente ávida por novidades e alegria!

Emocionante ver várias gerações – literalmente, de bebês a pessoas idosas – conhecendo, curtindo e relembrando um pouco da efervescência da época (quando, aliás, Premê era Premiditando o Breque e Mário Manga era Biafra).

Eu, que vi e acompanhei o nascimento do Língua na Cásper Líbero, e alguns eventos promovidos pelo Lira, no porão e na praça Benedito Calixto, vibrei de montão!

Como diria Paulinho da Viola, “meu tempo é hoje...”, e como refazer ou voltar ao tempo é impossível, relembrar não faz mal a ninguém! 



No segundo show do projeto Lira dos 30 Anos, do Sesc Consolação, o Língua de Trapo abriu a cena com um grande sucesso do Premê: São Paulo, São Paulo. E depois desfilou muitos de seus sucessos: Burrice Precoce, Fado da Falência, Xote Bandeiroso, O Cookie do Meu Bem, O Homem da Minha Vida, Cagar é bom (com a dupla João e Gilberto)...



Depois da mudança de instrumentos, entrou um Premê afiadíssimo e jovial, que, além de apresentar Brigando na Lua, Pinga com Limão, Fim de Semana e Marcha da Kombi (que as duas bandas cantaram juntas, ao final), fez sua versão de Conchetta, com participação do Laert Sarrumor... E ainda contou com a participação especialíssima do jovem Danilo Morais, filho do Wandi.



Tem mais Lira 30 Anos até dia 9 de dezembro, no Sesc Consolação: Mautner, Ná Ozzetti, Tetê Espíndola, Virgínia Rosa, Alzira E., Passoca, Arrigo, Clemente... Confira a programação.

Veja o trailer do curta de Riba de Castro – um dos sócios do Lira. Outro trecho, recheado com muitos depoimentos, é exibido antes de cada show.



Atendendo a pedidos, aqui vai o link do video Mais Inteligente,
em que dei uma de atriz para os amigos do Língua de Trapo.
 O filme de humor negro, feito em Super 8,
antecipou em pelo menos duas décadas as campanhas antifumo que tomaram conta do mundo...
Confira aqui.

quarta-feira, 18 de novembro de 2009

Cisne Negro e teatro ao ar livre



Não costumo assistir ou indicar apresentações de dança. Nada contra, apenas uma questão de prioridades para outros tipos de eventos culturais. O Cisne Negro, porém, por seu trabalho sério e incisivo – além de belo – é um caso à parte. Ainda mais nesta estreia do espetáculo “Abacadá”, com arranjos musicais do grande pianista e compositor André Mehmari, que estará ao vivo ao piano, em conjunto com o clarinetista Luca Raele. No programa, ainda, as coreografias “Lamento do Cisne”, baseada na obra de Saint-Saens; “Sabiá”, do português Vasco Wellenkamp; e “Reflexo do Espelho”, do francês Patrick Delcroix.

Onde: Auditório Ibirapuera – portão 2 do Parque do Ibirapuera (de carro, entrada pelo portão 3).
Quando: sexta (20), sábado (21) e domingo (22), sempre às 19 horas.
Quanto: R$ 15 a R$ 30
Informações: (11) 3629-1075, ou na Ticketmaster.
É BOM COMPRAR COM ANTECEDÊNCIA!



TEATRO DE GRAÇA E AO AR LIVRE!

Sombras da Luz – espetáculo de rua do grupo IVO 60, ligado ao ótimo Lume, de Campinas – encerra temporada. Para compor as personagens da peça, o grupo colheu depoimentos de frequentadores do parque. A ideia é fazer uma reflexão sobre a busca humana por um caminho de dignidade em meio ao caos social. Histórias bonitas de quem já perdeu tudo, menos a sensibilidade. Gente que acredita que “a buniteza é compartilhar os fracassos”. Chegar, casar, ter filhos, morrer. A sabedoria na loucura, o riso na tragédia, a liberdade no fracasso. A peça itinerante partiu de estudos sobre as linguagens do bufão e do palhaço, foco do trabalho da diretora Silvia Leblon.

Quando: sábado (21) e domingo (22), às 16 horas
Onde: Parque da Luz (Avenida Tiradentes, ao lado da Pinacoteca, Estação da Luz do metrô)
Quanto: entrada franca

terça-feira, 17 de novembro de 2009

Música contemporânea e mais sobre o projeto Lira dos 30 anos


Todas as terças-feiras de novembro a CPFL Cultura, em parceria com a Sociedade de Cultura Artística de São Paulo, promove o projeto Música no Século 21, que se dedica ao tema “entre o erudito e o popular”, voltado à musica contemporânea. A série Diálogos tem a curadoria do jornalista e crítico musical João Marcos Coelho.

Datas e artistas:

Hoje (17) – Saxofonia – Quarteto de saxofones criado em 1990, durante o Festival de Inverno de Campos do Jordão, e que conquistou prêmios em concursos de música de câmara, além de participar de duas edições do Encontro Internacional de Saxofonistas, realizado pelo Conservatório de Tatuí.

Dia 24 – Paulo Guimarães Álvares, pianista brasileiro radicado há décadas em Colônia, na Alemanha, fará, pela primeira vez no Brasil, a integral da obra para piano do compositor argentino Mauricio Kagel, morto há um ano. Paulo trabalhou com o compositor em Colônia, e gravou essas obras há alguns anos. Kagel é praticamente o inventor do teatro musical no século 20. Sua música processa e reprocessa as músicas do passado, num diálogo incendiário e provocativo.

Onde: Teatro Cultura Artística – Itaim – Av. Juscelino Kubitschek, 1.830
Quando: 20h30 (sempre às terças-feiras)
Entrada franca: lotação por ordem de chegada (200 lugares).

Para mais informações, clique aqui

MAIS SOBRE LIRA DOS 30 ANOS

Foto: Clayton de Souza / AE

Integrantes das bandas Língua de Trapo (com Laert Sarrumor em pé na extrema esquerda), Isca de Polícia e Premê, as cantoras Alzira e Tetê Espíndola, o compositor e instrumentista Arrigo Barnabé, a baixista Sandra Coutinho, das Mercenárias, e Riba de Castro (penúltimo agachado à direita), um dos sócios do Lira Paulistana, na frente do prédio onde funcionou o teatro na Rua Teodoro Sampaio. 
 
Saiu hoje uma matéria no Estadão sobre o evento (foto e legenda acima). Leia os três primeiros títulos deste link.

segunda-feira, 16 de novembro de 2009

Lira dos 30 anos começa nesta terça, 17 de novembro



Corra, tem poucos ingressos para os primeiros dias!

Show hoje de Edu Negrão e irmãos Vergueiro no Sesi



A boa música instrumental de Edu Negrão, hoje no Tom Jazz


“Música para quem não é músico” é a proposta do guitarrista paulistano Edu Negrão, que lança hoje seu terceiro álbum, Verdenovo. Para ele, um dos fatores que limitam o interesse do grande público por música instrumental é o excesso de virtuosismo por parte dos músicos, daí o slogan que adota. “Tem coisas de jazz, com 10 minutos de solo, que são um porre, e minha ideia é contagiar o público que não é músico”, diz.

Para isso, Negrão abre mão de muitos improvisos para privilegiar os temas, definindo sua música como “eletroacústica contemporânea”. Seu CD fecha uma trilogia estética e temática, em que “as composições são como canções instrumentais, porque são melodias cantáveis”.

O CD Verdenovo, produzido por Yuri Popoff, como os anteriores, traz 12 músicas de ritmos diversos, frutos de suas influências europeias e brasileiras, em especial de Toninho Horta. Só tem fera acompanhando o guitarrista: Benjamim Taubkin (piano), João Parayba (percussão), Nenê (bateria), Toninho Ferragutti (acordeon) e outros do mesmo naipe.

Quando: Hoje, às 22 horas.
Onde: Tom Jazz – Avenida Angélica, 2.331 - Higienópolis – Telefones: (11) 3255-0084 / 3635.
Quanto: R$ 20.

Veja um pouco de Edu Negrão, ao vivo em 2007, no Sesc Consolação:



Fontes: Estadão, iG e Youtube


Foto: Divulgação do show no Rio
GUILHERME E CARLINHOS VERGUEIRO

Carlinhos Vergueiro, um dos nomes mais respeitados da MPB, e seu irmão Guilherme Vergueiro, pianista, compositor e maestro, reúnem-se no espetáculo Mano a Mano. Além de músicas inéditas de Carlinhos, o repertório traz novos arranjos para algumas composições gravadas em CDs e uma belíssima regravação de “Feitio de Oração”, de Vadico e Noel Rosa.

Onde: Centro Cultural Sesi – Avenida Paulista, 1.313
Quando: quarta (18/11), às 20 horas
Quanto: R$ 10 e R$ 5 (meia-entrada).
Vendas (dois ingressos por pessoa): na bilheteria do teatro ou pela Ticketmaster. Telefone: (11) 2846-6000.

sexta-feira, 13 de novembro de 2009

Estação Brasil, Lira Paulistana e CD Brasileirinhos



ESTAÇÃO SESC BRASIL

Show especial de encerramento do Ano da França no Brasil com músicos franceses e brasileiros. Dia 14 - Isca de Polícia & Spleen. Arnaldo Antunes, Edgard Scandurra & Bertignac. Dia 15 - Tom Zé & Jeanne Cherhal, Naná Vasconcellos & Sandra Nkaké.

Quando: Sábado (14) às 21h e domingo (15), às 18 horas.

Quanto: R$ 7,50 a R$ 30
Onde: Sesc Pinheiros - Rua Pais Leme, 195


CD 'BRASILEIRINHOS' NA FNAC PAULISTA


O baixista Paulo Bira faz Pocket Show para lançar o CD “Brasileirinhos”, com músicas que deram os acordes aos poemas da coleção “Brasileirinhos – Poesia para os Bichos Mais Especiais da Nossa Fauna”, escritos e ilustrados pela dupla Lalau e Laurabeatriz.

O álbum 15 músicas, cada faixa apresentando um animal da fauna brasileira, com participações muito especiais: Zeca Baleiro, Marisa Orth, Paulo Tatit e Suzana Salles, Lucina, Skowa, Suzie Mathias, Cris Miguel e Sergio Serrano, Mario Manga e Sergio Espíndola, Paulo Padilha, Jerry Espíndola e Ciro Pinheiro, Kennya, Mano Bap, Marcos Bowie, Natalia Barros, Fogueira das Rosas e Carlos Campos.

Quando: sábado (14), a partir das 15 horas – show às 16 horas
Onde: Fnac Paulista – Avenida Paulista, 901
 

Esta foto HISTÓRICA, publicada no blog Diversões e Artes – Love Sampa, de Zeca Lembaum, está em baixa resolução, mas dá pra identificar algumas pessoas: Pituco, Lizoel, Laert, Fernandinho e Ayrton Mugnaini (Língua), Itamar Assumpção, Arrigo Barnabé, Vânia Bastos, Susana Salles e integrantes do Rumo, Titãs do Iê-Iê-Iê e do Ultraje a Rigor.

Homenagem aos 30 anos do Lira Paulistana

Os da minha geração devem ser lembrar bem de um velho porão da Rua Teodoro Sampaio, que agitou a cena cultural da cidade de São Paulo entre 1979 e 1986. O teatro Lira Paulistana era um espaço de vanguarda e efervescência cultural, e ao mesmo tempo palco para música, teatro, cinema, artes plásticas, literatura e jornalismo.

Por ali passaram Arrigo Barnabé, Itamar Assumpção, Tetê Espíndola, Ná Ozzetti, Paulo Tatit, Suzana Salles, Cida Moreira, Nelson Ayres, Jorge Mautner, Laura Finocchiaro, Marcelo Tas, Maurício Kubrusly, Elias Andreato, Paulo Caruso, Língua de Trapo, Premeditando o Breque, Ultraje a Rigor, entre muitos artistas que vivenciaram um dos mais estimulantes movimentos culturais experimentados pela capital paulista.

O Sesc está com uma programação completa com alguns desses artistas, chamada Lira dos 30 anos, que pretende resgatar parte dessa importante história cultural da cidade, trazendo um pouco do clima do extinto teatro, por meio de uma série de atividades que apresentem à nova geração o legado artístico deixado por ele.

O evento marca a primeira apresentação pública do making of do Documentário Lira Paulistana, de Riba de Castro, com duração de 30 minutos, precedendo shows em vários espaços do Sesc Consolação. É bom correr para comprar ingressos! Todas as atrações são no teatro Sesc Anchieta, com exceção dos espaços indicados. A programação é tão extensa que sugiro copiar e imprimir! Veja só:

BANDA ISCA DE POLÍCIA E ANÉLIS ASSUMPÇÃO

A Banda Isca de Polícia foi criada em 1979, por Itamar Assumpção para acompanhá-lo em discos e shows. Seu primeiro LP foi lançado em 1980 pelo então recém-nascido selo Lira Paulistana. Neste show, a banda relembra seus grandes sucessos, acompanhada por Anélis Assumpção, filha de Itamar.

Quando: terça (17/11), às 21 horas.

LÍNGUA DE TRAPO E PREMEDITANDO O BREQUE

Apresentação de duas das bandas mais engraçadas do país. Premeditando o Breque, o “Premê”, lançou seu primeiro álbum em 1981, em produção independente, e em 1983, com o trabalho Quase Lindo, lançado pela Lira/Continental. O primeiro disco do Língua de Trapo é de 82, em produção independente, pelo selo Lira Paulistana. As características que mais aproximam os dois grupos são a irreverência e o bom humor, que fizeram com que em muitas ocasiões se apresentassem juntos. Para mais esse encontro, os dois grupos garantem surpresas e muitos sucessos obrigatórios, como “São Paulo, São Paulo” (Premê) e “Concheta” (Língua de Trapo).

Quando: quarta (18/11), às 21 horas

ALZIRA E. e PASSOCA

No começo da década de 80, se reuniam músicos que tinham em comum tocar viola/violão e cantar: Passoca, Carlão de Souza, Gereba e Capenga, além de Alzira Espíndola (agora Alzira E.) e um jovem violeiro chamado Almir Sater. No Lira Paulistana, o grupo se apresentou com o nome Vozes & Violas, no primeiro show musical do Lira. Passoca e Alzira e cantarão e contarão histórias daquela época, com a participação especial do multi-instrumentista Renato Anesi e de Luiz Waak, ex-integrante da banda Isca de Polícia.

Quando: terça (24/11), às 19h30
Onde: Área de Convivência.

CLEMENTE E CONVIDADOS DO ROCK

O Teatro Lira sempre foi aberto a todas as experimentações musicais de qualidade. Prova disso é essa turma que se reúne para uma Jam, que inclui músicos de várias bandas que ajudaram a fazer a história do Lira. A banda base é formada por: Ari Baltazar (banda 365, um dos autores do hit São Paulo); Clemente Nascimento (Inocentes e Plebe Rude); Mingau (Ultraje a Rigor); Redson (Cólera); e Alonso, baterista da nova geração do rock nacional. Convidados do dia: Paulinho Barnabé (Patife Band); e Jão (Ratos de Porão).

Quando: quarta (25/11), às 21 horas
Onde: Espaço Beta, 3º andar.

JORGE MAUTNER

Escritor, autor de cinema, compositor, instrumentista e cantor, Mautner sempre apoiou causas e projetos culturais e foi um dos incentivadores do Lira Paulistana. O show apresentará músicas que foram sucesso, das quais se destacam: Lágrimas Negras, gravada por Gal Costa; Vampiro, gravada por Caetano Veloso; e Herói das Estrelas, gravada por Gilberto Gil, entre outras.

Quando: terça (1/12), às 19h30
Onde: Área de Convivência.

CLEMENTE E CONVIDADOS DO ROCK

Clemente volta para nova jam, desta vez com os convidados Sandra Coutinho (Mercenárias) e Kid Vinil (Magazine). O repertório inclui músicas das bandas e releituras do rock mundial.

Quando: quarta (2/12), às 21 horas.
Onde: Espaço Beta, 3º andar.

NÁ OZZETTI, TETÊ ESPINDOLA E VIRGÍNIA ROSA

Desde o início, a presença de cantoras nos shows do Lira Paulistana foi muito marcante, tanto em trabalhos solos como participando de grupos. Nessa noite, estarão reunidas teremos três das mais significativas intérpretes que por lá passaram. Tetê Espíndola, a cantora que tem "pássaros na garganta", se apresentou várias vezes no Lira, acompanhada por sua craviola, agora passeando por seu vasto repertório. Ná Ozzetti é outra importante intérprete que começou sua carreira cantando no grupo Rumo, um dos ícones da “Geração Lira Paulistana”. Nessa noite, estará acompanhada pelo violeiro e compositor mineiro Ivan Vilela (MG) e pelo violonista e compositor Dante Ozzetti. Virgínia Rosa, dona de uma das belas vozes femininas que passaram pelo teatro, como integrante da banda que acompanhava Itamar Assumpção, que recentemente fez uma homenagem ao esquecido Monsueto, também participa.

Quando: terça (8/12), às 21 horas

ARRIGO BARNABÉ E BANDA

Polêmico e instigante compositor e intérprete, Arrigo Barnabé é um dos Papas da chamada Vanguarda Paulista, embora nunca tenha se apresentado com trabalho próprio no teatro (sua banda Sabor de Veneno era demasiadamente grande para o pequeno palco do porão cultural). Nesse show, apresentará clássicos do repertório do show Clara Crocodilo, acompanhado por Sérgio Espíndola (violão e baixo) e Paulo Braga (piano).

Quando: quarta (9/12), às 21 horas.
Quanto: R$ 2,50 a R$ 10 (DE GRAÇA, nas áreas externas ao teatro)
Onde: Sesc Consolação – Rua Doutor Vila Nova, 245 – Telefone: 3234-3000

Mais informações, no Portal Sesc.

quarta-feira, 11 de novembro de 2009

Espetáculos recomendadíssimos, a partir desta quinta!

LAMARTINE BABO e suas canções

Estreia nesta quinta (12/11) Lamartine Babo, novo espetáculo do Centro de Pesquisa Teatro (CPT) - entidade criada e dirigida por Antunes Filho. Traz algumas das inesquecíveis canções de Lamartine Babo, quando uma banda recebe a misteriosa visita de um senhor e de sua sobrinha. Texto de Antunes Filho. Direção de Emerson Danesi.

Onde: Espaço CPT do Sesc Consolação – Rua Doutor Vila Nova, 245
Quando: toda quinta, às 21 horas. ATÉ 10 DE DEZEMBRO.
Quanto: de R$ 2,50 a R$ 10



Sérgio Molina e Miriam Maria lançam o CD “Sem pensar, nem pensar”

Entre 2002 e 2003, Itamar Assumpção (1949-2003) escreveu 11 letras especialmente para o compositor Sérgio Molina musicar e chegar ao público na voz de Miriam Maria. O projeto foi realizado dando origem ao espetáculo que leva o nome da canção “Sem pensar, nem pensar”. O show mostra fragmentos recortados dos textos de Itamar Assumpção, reelaborados em forma de poesia visual projetada, contribuindo também de forma criativa para uma maior apreensão dos versos. O projeto foi premiado pela Secretaria Estadual de Cultura de São Paulo. Com Sergio Molina (composição, violão e vocais), Miriam Maria (voz), Clara Bastos (contrabaixo acústico, elétrico e vocais), Mariô Rebouças (piano), Priscila Brigante (bateria, tabla e percussão), Luciano Pessoa (vídeocenário).

Infelizmente, nesse não poderei ir, já tenho voucher do Vá ao Teatro para esse dia...

Quanto: R$ 4 a R$ 16
Onde: Sesc Ipiranga – Rua Bom Pastor, 822 – Telefone: 3340-2000
Quando: sexta (13), às 21 horas.


O CÍRCULO DO OURO

O espetáculo teatral O Círculo do Ouro, da Companhia Ponto de Partida, de Belo Horizonte, foi recomendado por amigos e tentarei ir sábado.

É puro teatro: denso, lúdico e poético, que deixa aflorar os traços que nos determinam brasileiros, mas também as questões que nos instigam como seres humanos. A montagem retrata Minas Gerais, no momento em que as minas são descobertas e o ouro atrai para o sertão o maior contingente de habitantes jamais visto na colônia. O texto traz a saga dessa gente vigiada, cercada por impostos absurdos e delações, na luta permanente para sobreviver e se reinventar. Dramaturgia e direção geral de Regina Bertola. Com Ana Alice de Souza, Carolina Damasceno, Daniela Costa e grande elenco. Ainda não comprei ingresso, mas vou tentar, para sábado...

Quando: dias 13 e 14 (sexta e sábado), às 21 horas;: 15 (domingo), às 18 horas.
Onde: Sesc Vila Mariana – Rua Pelotas, 141 – Telefone: 5080-3000
Quanto: R$ 5 a R$ 20

terça-feira, 10 de novembro de 2009

Vi o show Afrossambajazz e amei!!


Capa do CD lançado este ano pela Biscoito Fino

Há algum tempo, o pianista Phillipe Baden Powell - cujo irmão, Marcel, é violonista, como o pai – descobriu nos guardados de Baden muitos escritos e músicas inéditas, inclusive afrossambas, compostos na fase pós-morte de Vinicius de Moraes, seu parceiro nos primeiros da série.

Phillippe sabia que o pai sempre foi aberto a inovações e renovações, e que tinha avalizado o violonista e arranjador Mário Adnet como músico de primeira linha. Foi a ele que recorreu para consolidar o projeto Afrossambajazz, em que músicas novas se misturariam às antigas, ganhando uma roupagem que ia muito além do samba, e remetia ao jazz, ao baião e outros ritmos.

Ambos reuniram uma grande banda, formada por músicos igualmente de primeira linha, entre os quais o saxofonista e flautista Teco Cardoso, a violonista Antonia Adnet e o conhecido percussionista Mestre Marçal, e fizeram alguns shows por capitais.

Domingo, ressentida por não poder ir ao projeto do Teatro Anhembi-Morumbi (Il Grande Soufflet, com sanfoneiros brasileiros e franceses), aqui pertinho, deparei com uma promoção no Portal Sesc para o show do Sesc Pinheiros (sempre fico ligada nas promoções diárias, a partir das 10 da manhã). E ganhei dois ingressos!





Foi com grande prazer que assisti a essa apresentação preciosa e imperdível – maravilhosa, mesmo pra quem não gosta de usar tantos adjetivos num texto.

O espetáculo teve participação especial da cantora Monica Salmaso, que já havia gravado alguns afrossambas em disco com Paulo Belinatti.

Ao final do show, comprei por apenas R$ 25 o CD Afrossambajazz, lançado este ano pela Biscoito Fino, em cujo site é possível inclusive comprar o CD original de Baden, relançado, e faixas em MP3. O disco é bom, mas tem apenas 14 músicas e o show é mais extenso – infelizmente não deram programa, mas devia ter umas 20 músicas. E, claro, nada como assistir ao vivo. Espero que a TV Sesc transmita em breve o projeto, em sua programação. Até lá, ouça o CD na Rádio UOL e curta o vídeo (bem amador) da apresentação da banda com Mônica Salmaso, em Belo Horizonte.

segunda-feira, 9 de novembro de 2009

Exposições e lançamento de livros de Jornalismo



Brecheret em duas exposições em São Paulo

Os paulistanos e seus visitantes conhecem bem o nome de Victor Brecheret – grande expoente do Modernismo brasileiro – por seus famosos ‘Monumento às Bandeiras’, no Parque do Ibirapuera; a homenagem a Duque de Caxias, numa escultura colossal em plena Praça Princesa Isabel, nos Campos Elíseos; e o Fauno, estátua que pode ser vista no Parque Trianon. Muitos de seus trabalhos estão expostos em museus e galerias da cidade, e ornamentam antigos cemitérios. Agora, uma parte pouco conhecida de suas obras está em duas exposições gratuitas na cidade:

No Sesc Vila Mariana, ‘Brecheret e a Escola de Paris’ mostra as influências do grupo francês em sua obra. São esculturas produzidas entre as décadas de 1920 e 1930, além de fotos que registram a estada de Brecheret em Paris, documentos, revistas, publicações, cartas e desenhos originais do artista.

Onde: Sesc Vila Mariana – Hall de Exposições e Atrium – Rua Pelotas, 141.
Quando: de terça a sexta, das 7 às 21h30; sábados, domingos e feriados, das 9 às 18h30. ATÉ 3 DE JANEIRO.

Já a Caixa Cultural Sé traz ‘A Arte Indígena de Victor Brecheret’, com a fase/face mais ‘rústica’ do artista. Com curadoria de Maria Aparecida Brecheret, a exposição traz obras inspiradas nos antepassados indígenas e no primitivismo milenar. Mesmo dono de cultura erudita, o ítalo-brasileiro Victor Brecheret encontrou nas matas brasileiras a inspiração máxima: os índios. A fase indígena é considerada a terceira na trajetória do artista. São 24 esculturas em terracota, madeira e pedra, além de 23 desenhos, inspirados na cultura indígena, brasilianista e marajoara, com grafismos que lembram escritas antigas.

Onde: Caixa Cultural – Praça da Sé, 111.
Quando: de terça a domingo, das 9 às 21 horas. ATÉ 10 DE JANEIRO.

ARTE COLOMBIANA, NA GALERIA DE ARTE DO SESI

A mostra inédita ‘Arte Colombiana – 1948 a 1965’ traz 140 obras – pinturas, esculturas, gravuras, revistas culturais e filmes de época – de 47 artistas com intensa e influente produção no período, como Fernando Botero, Alejandro Obregón e Edgar Negret, entre outros.

Onde: Galeria de Arte do Sesi – Avenida Paulista, 1.313
Quando: segundas-feiras, das 11 às 20; de terça a sábado, das 10 às 20; e aos domingos, das 10 às 19 horas. ATÉ 25 DE JANEIRO
Quanto: de graça.


Foto: Reprodução

No Masp, fotografias de Walker Evans

Famoso por suas imagens da Depressão Americana de 1929 (como a foto acima) e primeiro fotógrafo a ser contemplado com uma exposição individual no Museu de Arte Moderna de Nova York (MoMA), em 1933, o norte-americano Walker Evans (1903-1975) ganha sua primeira retrospectiva no Brasil, com 121 imagens, pertencentes a um colecionador.

O núcleo da retrospectiva é a série de fotografias que Evans registrou no Sul dos EUA entre 1935 e 1936, contratado pelo então presidente Roosevelt. Também podem ser vistos seus primeiros trabalhos, dos anos 1920.

Onde: Masp – Avenida Paulista, 1.578.
Quando: das 11 às 18 horas (quinta, até 20 horas – fecha segunda). ATÉ 10 DE JANEIRO.
Quanto: R$ 15 (grátis às terças)



COLEÇÃO INTRODUÇÃO AO JORNALISMO

Organizada pela jornalista, radialista e professora Magaly Prado – que foi minha colega na Cásper Líbero – a série ‘Introdução ao Jornalismo’ tem o objetivo de preparar estudantes para a profissão. A ideia é municiar professores de cadeiras de primeiro e segundo ano dos cursos de Jornalismo das faculdades de Comunicação, a ministrar aulas com um material de apoio diferenciado, atualizado e completo.

A coleção é composta de oito volumes no total – dos quais quatro estão sendo lançados agora – com o cuidado de fugir de uma linguagem densa, rebuscada e cifrada, com texto agradável e leves toques de humor, contando ainda conta com um glossário de termos técnicos e jargões. Os temas incluem Jornalismo Diário; Técnicas de Redação e de Reportagem; e Jornalismo Esportivo.

Quando: nesta terça (10), das 19h30 às 22 horas.
Onde: Saraiva do Shopping Higienópolis – Avenida Higienópolis, 618.
Quanto: R$ 39 cada volume.

domingo, 8 de novembro de 2009

Cinema brasileiro e a música do século 21 de graça!



PROJETA BRASIL CINEMARK


A décima edição do projeto acontece nesta segunda, 9 de novembro, homenageando o Dia do Cinema Brasileiro. Desde 2000, o Cinemark dedica um dia inteiro ao cinema nacional, exibindo em suas salas as mais recentes produções brasileiras.

Alguns dos filmes: Meu Nome não é Johnny (BOM FILME), Polaroides Urbanas, Chega de Saudade (DELICIOSO!), Era Uma Vez…, Ensaio Sobre a Cegueira, Estômago (HUMOR NEGRO DE PRIMEIRA!), Os Desafinados, Última Parada 174, Linha de Passe, Bodas de Papel, A Casa de Alice (BELÍSSIMO!) e os novíssimos Alô, Alô Terezinha, Bela Noite Para Voar, Herbert de Perto (BOM), Helena Meirelles - A Dama da Viola, Titãs (EXCELENTE!), Tempos de Paz (não consegui ver), Simonal – Ninguém sabe o duro que Dei (ÓTIMO!) e Salve Geral, concorrente ao Oscar de 2010.

Quanto: R$ 2 – Toda a verba arrecadada é revertida para projetos de incentivo ao cinema.

Fique ligado na programação por filme e sala no site do Cinemark. (Recomendo disposição para enfrentar filas - e um bom livro para fazer companhia...)



ESPETÁCULO A ARTE DO INSTANTE

O violoncelista grego Dimos Goudaroulis apresenta-se com quinteto, no módulo Diálogos: entre o erudito e o popular, do Projeto Música do Século 21, da CPFL Cultura, que tem curadoria do jornalista e crítico musical João Marcos Coelho.

O artista se destaca por pertencer a uma nova geração de instrumentistas que transitam com desenvoltura por estilos musicais diferentes e se apresentam tanto com instrumentos modernos como de época.

Além de Goudaroulis, o quinteto é formado por: Luis Afonso Montanha (clarone e clarineta); François de Lima (trombone de válvula); Sacha Amback (sintetizadores); e Eduardo Contrera (percussão).

Quando: terça, 10 de novembro, às 20h30.
Onde: Teatro Cultura Artística-Itaim – Avenida Juscelino Kubitschek, 1.830

ENTRADA FRANCA

Mais informações no site CPFL Cultura.

sexta-feira, 6 de novembro de 2009

Muita música clássica da boa - e de graça!



No Projeto Música em Cena, do Sesi, que visa democratizar o acesso à música erudita, sempre ao meio-dia e de graça, muita música clássica da boa. Destaco algumas atrações (veja mais no flyer acima):

Domingo (8) – Grupo Moscow Rachmaninov

Formado por solistas da Orquestra Filarmônica de Moscou, o Moscow Rachmaninov Trio, formado pela violoncelista Natalia Savinova; o violinista Mikhail Tsinman; e o pianista Victor Yampolsky, traz repertório obras do compositor austríaco Joseph Haydn, do pianista francês Maurice Ravel e do compositor russo Anton Arensky.

Domingo (22) – Villa das Crianças

Formado por Cristina Poles (flauta), Domingos Elias (clarinete), Marcos Fokin (fagote), Marcelo Artys (violão) e Renata Campos (narração), o grupo pretende estimular a imaginação do público infantil, apresentando seus instrumentos, suas características e timbre de maneira didática. No repertório, peças de Heitor Villa-Lobos: Tocata (O Trenzinho do Caipira) da Bachianas Brasileiras nº 2; Choro nº 1; Rosa Amarela; e Se essa Rua, além de uma coletânea de músicas folclóricas e obras de Ernesto Nazareth e Chiquinha Gonzaga. Narração de Renata Campos.

Quarta-feira (25) – Banda Sinfônica do Estado de São Paulo

Sob a regência do maestro Marcos Sadao Shirakawa e participação especial do clarinetista José Luiz Braz, o espetáculo Pra ver a banda tocar permite que o público conheça toda a versatilidade e qualidade artística da Banda Sinfônica. Os 82 instrumentistas interpretarão obras de Ohad Talmor, Philip Sparker, Edward Elgar e de André Mehmari. O concerto inclui momento interativo em que músicos da plateia vão ao palco participar com o seu instrumento de sopro na chamada Canja Sinfônica.
ENTRADA FRANCA – Ingressos a partir das 11 horas.

Villa-Lobos, que morreu há 50 anos e foi um grande incentivador da integração entre a música erudita e a popular, também será homenageado na Globo News (canal 40 da Net), em três programas que tratarão de sua vida e obra, sempre aos domingos.

Onde: Teatro Popular do Sesi - Avenida Paulista, 1.313 (Edifício da Fiesp/Sesi)
Quando: Dias 8, 15 e 22, às 23 horas. Veja um trecho, ao som do violão de Turíbio Santos:

quinta-feira, 5 de novembro de 2009

Muitos shows instrumentais a partir de hoje

O fim de semana traz tantos shows bons e diferentes que fica difícil escolher. Sugiro ligar antes para saber da disponibilidade de ingressos. E aqui vão as sugestões:



Hoje, às 21 horas, a banda Os Copa 5 faz homenagem ao músico e arranjador J. T. Meirelles, com participação especial de Roberto Sion

Onde: Sesc Ipiranga - Rua Bom Pastor, 822
Quanto: R$ 3 a R$ 12



Benjamim Taubkin convida Trio+1 (Zeca Assumpção, Sérgio Reze, Joatan Nascimento), no espetáculo de lançamento do novo CD homônimo. A apresentação terá a participação das bandas Freegideira, que mistura hip-hop com maracatu; e Bongar, que faz o puro e tradicional coco, estilo musical nordestino.

Quando: 6, 7, 8 de novembro. Sexta e sábado, às 21 horas; domingo, às 19 horas.
Quanto: R$ 30 e R$ 15 (meia-entrada)
Onde: Auditório Ibirapuera – entrada pelo portão 3 do Parque do Ibirapuera.

Yamandu Costa e Hamilton Holanda, no Instrumental Fecap

O violonista Yamandu Costa e o bandolinista se reúnem para interpretar canções próprias e em parceria, lançando o CD Luz da Aurora, gravado ao vivo.

Quando: sábado (7), às 21; domingo (8), às 19 horas.
Onde: Teatro Fecap – Avenida Liberdade, número 532 (próximo ao metrô Liberdade) – Telefone: (11) 3188-4149
Quanto: R$ 20



PIANO NA PRAÇA

O ator e instrumentista Tim Rescala se apresentará em concerto de piano solo no projeto Piano na Praça, da Prefeitura de São Paulo.

Quando: sábado (7), a partir das 15 horas.
Onde: Praça Dom José Gaspar, vizinha à Praça da República, no centro de SP
ENTRADA FRANCA.




AFROSSAMBAJAZZ

O espetáculo apresenta releituras dos afrossambas compostos por Baden Powell e Vinícius de Moraes em 1966, considerados um marco na música brasileira, aqui revisitados pelos compositores, arranjadores e instrumentistas Mario Adnet (violão) e Philippe Baden Powell (piano), com participação da cantora Monica Salmaso, que gravou há alguns anos, com o violonista Paulo Belinatti, um disco de afrossambas.

Onde: Sesc Pinheiros – Rua Paes Leme, 195 – Telefone: (11) 3095-9400
Quando: dias 7 e 8 (Sábado, às 21; domingo, às 18 horas).
Quanto: R$ 5 a R$ 20



Festival Conexão Acordeom França-Brasil – Le Grand Soufflet

A cada dia, dois artistas, um francês e um brasileiro, dividem o palco para um intercâmbio de sonoridades entre os dois países.

A França tem no acordeom um forte elemento de sua identidade musical. No Brasil, o instrumento e suas variantes são muito comuns em gêneros populares. Hoje, o acordeom alcança sonoridades ecléticas e modernas em todo o mundo.

Após as apresentações em São Paulo, o festival ocorre em Porto Alegre/RS, de 9 a 11 de novembro, no teatro do CIEE.

QUANDO:

Sexta (6), às 21 horas – Oswaldinho do Acordeon, mestre moderno de seu instrumento, e o jovem músico francês Syrano.

Sábado (7), às 21 horas –Toninho Ferragutti - Brasil. Músico, compositor e arranjador e o Trio francês Amestoy / Dulieux / Suarez, com rico repertório do Trio oscila entre folk, jazz e música moderna.

Domingo (8), às 19 horas – Renato Borghetti, o primeiro instrumentista brasileiro a receber um Disco de Ouro, e o duo Arnaud Méthivier e Pierre Payan, que faz um som cheio de poesia e bom humor.

Onde: Teatro Anhembi Morumbi – Rua Doutor Almeida de Lima, 1.134 – Mooca (próximo ao início da Radial Leste e da Estação Bresser-Mooca do metrô) – Telefone: (11) 2081-5924.
Quanto: R$ 30 – Informações e Vendas - Ingresso Rápido (11) 4003-1212

quarta-feira, 4 de novembro de 2009

Campanha Vá ao Teatro – ingressos a R$ 5!

Volto a indicar a campanha Vá ao Teatro, que prossegue até 13 de dezembro, com ingressos de mais de cem espetáculos espalhados pela cidade de São Paulo por apenas R$ 5.

Postos fixos: Poupatempo de Itaquera, Santo Amaro e São Bernardo do Campo; pontos de venda do Ingresso Rápido.

Bilheteria móvel: a cada dia num ponto da cidade. Toda terça e quarta, na área externa do Poupatempo Sé.

A Campanha do Teatro é tradicional, mas achei que este ano está desorganizada.

Fui hoje ao Poupatempo Sé – tem fila e o atendimento é demorado, principalmente porque as pessoas deixam para escolher as peças na hora. Portanto, é bom escolher pelo site, fazer sua listinha e saber que algumas peças, como As Pontes de Madison, já têm ingressos esgotados; ou poucos ingressos, como é o caso de A Música Segunda (no Teatro Vivo). Para essa, consegui vouchers (que devem ser trocados no dia, no próprio teatro) somente para 11 de dezembro!

PEÇAS DA PROMOÇÃO, QUE ME PARECEM INTERESSANTES:

Só por hoje mostra trechos das vidas de seis pessoas, em histórias que se entrelaçam e se amarram, em situações sérias, inusitadas e muitas vezes engraçadas. Direção: Cristiano Sensi. Elenco: Fátima Ribeiro, Anna Carolina Longano, Henrique Taubaté Lisboa, Cristiano Sensi, Flávia Gomes, Luciana Birindelli, Fabrício Mardegan.

Quando: sextas-feiras, 21h30 – Até 11 de dezembro.
Onde: Espaço Cultural Pyndorama http://pyndorama.com, Rua Turiaçu, 481 – Perdizes. Telefone: (11) 3871-0373
Duração: 110 minutos.
Quanto: fora da promoção, R$ 10 (inteira) e R$ 5 (meia).

Sonho de Um Homem Ridículo – Drama de Dostoievski, adaptado e com atuação de Celso Frateschi, sobre um homem que se sabe ridículo desde a infância, motivo de desprezo e zombaria, e já não tem interesse em sua existência. Através do sonho, ele narra como conheceu a verdade e mostra que tudo deve ter sido real. (Essa quero ver faz tempo, agora voltou e irei no dia 15)

Direção: Roberto Lage.
Onde: Teatro Ágora / Sala Gianni Ratto – Rua Rui Barbosa, 672 – Bela Vista – (11) 3284-0290
Quando: sextas e sábados, às 21h; domingos, às 19 horas – Até 13 de dezembro.

FORA DA CAMPANHA:



Ensaio sobre Carolina – Integra o Projeto Vitrine Cultural, do Teatro Imprensa.

Adaptação e Criação de Texto do grupo Os Crespos, e de José Fernando de Azevedo (professor da EAD), que também dirige o espetáculo. Baseado no livro Quarto de Despejo, Diário de Uma Favelada, lançado em 1960. Carolina, catadora de papel, relata sua vida na favela do Canindé, as dificuldades para criar os três filhos e denuncia as estruturas sociais brasileiras. O livro inspirou também um filme realizado por uma TV da Alemanha Oriental, em 1975, que utilizou a própria Carolina como protagonista: Despertar de um Sonho (censurado na época e ainda inédito no Brasil). Na mesma década, foi feita uma adaptação para a série Caso Verdade, da Rede Globo, com a atriz Ruth de Souza.

O diário e o livro de Carolina Maria de Jesus foram o ponto de partida para a construção da narrativa. Cadeiras espalhadas pelo palco aproximam o público, que é convidado a se sentar próximo dos atores. Depoimentos de alguns integrantes do grupo foram incorporados a trechos dos relatos de Carolina. O diretor afasta o tom sentimentalista confessional para criar um espetáculo em que a música e o corpo se tornam linguagem, além de gestos de dança clássica mesclados a ritmos de candomblé.

O grupo Os Crespos surgiu nas dependências da Escola de Arte Dramática da USP (EAD) em 2005. No dia 13 de maio, dia da abolição da escravatura, começou suas atividades com o objetivo de levar para a escola a discussão sobre o que foi e o que representou para o país a assinatura da Lei Áurea. Na semana da consciência negra, promoveu o encontro Pensando a Negritude, para discutir como o negro foi inserido na história artística do país, e qual o papel que ocupa hoje na sociedade.

Quando: quartas e quintas, às 21 horas – Até 4 de dezembro
Quanto: R$ 10 e R$ 5 (meia entrada).
Onde: Teatro Imprensa – Rua Jaceguai, 400 – Bela Vista – Telefone: 3241-4203

segunda-feira, 2 de novembro de 2009

Filmes que vi ontem, mais novo show de Márcia Lopes




Ontem fui ao cine Gemini – cinemão que resiste, embora bem caidinho, e que conheço de tempos áureos desde a época da inauguração, em meados dos anos 70. Lá passam filmes em “fim de carreira”, aos quais geralmente já assisti. Mas como estava com programação atrasada, acabei vendo três: dois americanos (Vigaristas e Amantes) e um brasileiro (Herbert de Perto).

Os Vigaristas é uma comédia bem bobinha, mas tem fotografia e locações interessantes, como Praga e Montenegro. A historinha é manjada: dois vigaristas tentam dar um golpe numa ricaça – a louquinha e solitária Rachel Weisz. O elenco é de primeira. Além de Rachel, traz Adrien Brody e Mark Ruffalo. Claro que o menos malandro, Brody, se apaixona pela “heroína”, que cai no golpe, mas não por ser boba, mas por querer saborear aventuras... Parecido com Vida Bandida (com Bruce Willis, Billy Bob Thornton e Cate Blanchett, que caía mais para humor negro) e o impagável mas esquecido Os Safados, com Steve Martin e Michael Caine.

Os Amantes traz o charmoso Joaquin Phoenix muito bem no papel de um rapaz bipolar que se divide entre a vizinha problemática Michelle (Gwyneth Paltrow) e a doce Sandra (Vinessa Shaw). A mãe dele é Isabella Rossellini, que aparece envelhecida num papel forte de uma mãe que sempre apoia o filho... Bom, porém esperava mais... Também, a velha história: tanto esse como Os Vigaristas podiam ter uns vinte minutos a menos, assim como muitos filmes de três anos pra cá...

Herbert de Perto é um documentário que demorou a chegar (é de 2006). Retrata a trajetória de Herbert Vianna desde antes da formação dos Paralamas, até seu acidente na queda de ultraleve, em 2001, e sua surpreendente recuperação, passando por suas muitas terapias, apoio dos amigos e da família, e do forte papel da música nessa volta por cima. Bom, e muito emocionante, mas na categoria documentário musical de rock/pop, pra mim, ainda é imbatível o dos Titãs...




MÁRCIA LOPES NO CAFÉ PAON

Já falei aqui de Márcia Lopes, que conheci há pouco tempo e acho uma ótima cantora – voz, repertório e músicos acompanhantes. Ela faz o show Bonita nesta terça (3/11), com canções do CD homônimo, o segundo da carreira, lançado em 2008, entre as quais Bonita (Tom Jobim/Ray Gilbert/Gene Lees), E o Mundo Não Se Acabou (Assis Valente), Moon River (Henry Mancini/Johnny Mercer) e Coração Vagabundo (Caetano Veloso). Acompanhada por Mário Manga (violoncelo), Fábio Tagliaferri (viola de arco), Daniel Nakamura (violão) e Adriano Busko (percussão).

Quando: terça, 3 de novembro, às 21 horas
Onde: Café Paon (piano bar) –Av. Pavão, 950 – Moema - (11) 5531-5633 e 5533-5100
Quanto: couvert artístico a R$ 20

Fonte: Blog Acordes.

Veja vídeo de Márcia cantando Beatles:

domingo, 1 de novembro de 2009

Feriadão com música e exposições - EU? VOU AO CINEMA...

Hoje, enfim, vou pôr filmes de cinema em dia. Até queria ver algum da Mostra, mas nada me atraiu e muitos filmes que achei interessantes vão estrear logo. Pretendo ir ver Coco Antes de Chanel, que estreou sexta-feira. Depois eu conto.




SHOW DE VIRGÍNIA RODRIGUES

A cantora Virgínia Rodrigues faz show de lançamento do CD “Recomeço”. Com seu canto camerístico, aliado à compreensão da canção popular, Virgínia interpreta clássicos recorrentes da música brasileira com ineditismo, passando pela poesia de Chico Buarque, Vinícius de Moraes, Dolores Duran.

Quando: Hoje (domingo) e amanhã, às 18 horas.
Quanto: de R$ 5 a R$ 20.
Onde: Sesc Pinheiros – Rua Paes Leme, 195 – Telefone: 3095-9400

@@@@@

Se estou atrasada em cinema, imagine em exposições... Mas passo dicas interessantes para o feriadão... Como estarei na Paulista, tentarei ver uma delas...

Virada Russa em 120 obras no CCBB



Passeio, obra de Marc Chagall feita em 1917, está na mostra

No Centro Cultural Banco do Brasil está em cartaz a maior mostra já feita no país sobre o movimento que ocorreu entre 1890 e 1930 e mudou a história da arte na Rússia. Virada Russa – A Vanguarda na Coleção do Museu Estatal Russo de São Petesburgo tem 120 obras de 52 artistas como Vassili Kandínski, Marc Chagall, Aleksandr Ródtchenko e Kazimir Maliévitch. Entre os trabalhos estão telas, cartazes, esculturas, peças de vestuário, desenhos e louças que mostram a inquietude cultural do período da Revolução Russa em 1917, quando os artistas passaram a buscar o seu próprio caminho na arte. Organizada em três núcleos, a mostra ocupa o subsolo e mais três andares do CCBB.

Quando: terça a domingo, das 10 às 20 horas, até 15 de novembro
Onde: CCBB – Rua Álvares Penteado, 112 – Centro
ENTRADA FRANCA

Fonte: Revista Época

@@@@@

NO MASP

Olhar e Ser Visto traz 95 obras de mestres do século 16 aos dias de hoje, entre eles Rembrandt, Picasso, Ticiano, Van Gogh, Modigliani, Velázquez, Goya, Cézanne, Manet, Renoir e Portinari. São telas, fotografias, esculturas, desenhos e gravuras, tornando possível perceber as diversas transformações na representação pelas quais a efígie passou ao longo dos anos.

Onde: 2º andar do Masp – Avenida Paulista, 1.578 – Telefone: 3251-5644
Quando: terça a domingo e feriados, das 11 às 18h; quinta, até 20h.
Quanto: R$ 15 – gratuito às terças e para menores de 10 anos e maiores de 60.

Obras e fotografias de Rodin


Peça em bronze As Três Sombras (1902-1904) sai pela primeira vez dos jardins do museu Rodin, em Paris

As 193 imagens selecionadas para a exposição Rodin, realizadas entre 1880 e 1910 e pertencentes ao gigantesco acervo do artista (com mais de sete mil fotos), são tão frágeis que depois da mostra regressarão direto para a reserva técnica do Museu Rodin. Com caráter inédito, a mostra apresenta a fotografia no cotidiano de criação do escultor, incluindo a visitação de seu ateliê. Retrata principalmente os trabalhos de Eugène Druet, contratado em 1903 pelo escultor. Druet era o fotógrafo preferido de Rodin, e declarou que o escultor tinha o hábito de “dirigir” seu trabalho fotográfico.

Onde: Masp – Avenida Paulista, 1.578 – Telefone: 3251-5644
Quando: terça a domingo e feriados, das 11 às 18h; quinta, até 20h.
Quanto: R$ 15 – gratuito às terças e para menores de 10 anos e maiores de 60.

Fonte: Estadão



O Museu de Arte Brasileira da Faap apresenta, pela primeira vez em São Paulo, a exposição Vertigem, da dupla osgemeos – que este ano criou o logotipo da Mostra Internacional de Cinema. Vertigem reúne obras que traduzem o sensível olhar da dupla pioneira no cenário nacional do grafite, que retrata o cotidiano em imagens surrealistas de sonho, por meio de cores alegres e personagens melancólicos. Além dos trabalhos expostos em mostras realizadas anteriormente nas cidades de Curitiba e do Rio de Janeiro, Vertigem apresenta uma série de novas obras especialmente concebidas para o espaço do MAB.

Onde: Museu de Arte Brasileira da Faap – Rua Alagoas, 903 – Higienópolis – (11) 3662-7198
Quando: de terça a sexta, das 10 às 20 horas; sábados, domingos e feriados, das 10 às 17 horas – Até 13 de dezembro
ENTRADA FRANCA

@@@@@

ANO DA FRANÇA NO BRASIL EM DUAS EXPOSIÇÕES



A Renault de Doisneau, mostra de fotos de Robert Doisneau, revela registros produzidos pelo célebre fotógrafo nos dois períodos em que trabalhou para a montadora francesa (1934 a 1939 e 1946 a 1955). São 106 fotografias que retratam o cotidiano das fábricas nos arredores de Paris, seus operários e automóveis, além de imagens publicitárias com belas modelos ao lado dos carros de época.

Onde: Centro Cultural Fiesp - Ruth Cardoso, Avenida Paulista, 1.313 – Telefone: (11) 3549-4499
Quando: segundas, das 11 às 20 horas; terça a sábado, das 10 às 20 horas; domingos, das 10 às 19 horas – até 6 de dezembro.
ENTRADA FRANCA



Uma Aventura Moderna traz obras de 18 artistas franceses, entre eles, Arman, Joan Miró, Jean Dubuffet, Jean Tinguely e Victor Vasarely, a mostra itinerante apresenta o cenário da arte moderna do país europeu. A seleção, dividida em quatro núcleos – O Universo Industrial, O Meio Ambiente Dubuffet, Pintura Abstrata e Pintura Cinética –, reúne peças que representam o elo entre o universo industrial e a arte.

Quando: terça a domingo, das 10 às 18 horas – até 15 de dezembro.
Onde: MAC USP Ibirapuera – Pavilhão Ciccillo Matarazzo, 3º piso
ENTRADA FRANCA

Fonte: UOL